sábado, 9 de março de 2013

Pelos regressos


(acolho carinhosamente todos os pormenores que me entram pela vida adentro. converto-os quase sempre em bens essenciais. mas nunca lhes fecho as portas e as janelas. deixo-os livres para circularem. quando partem entristeço. com tudo aberto não tarda  aparecem outros, novos, trazidos pelas correntes de ar. não substituem os que partiram. criam novos espaços na pirâmide de Maslow. nunca se sabe se um dia algum quererá regressar.)

1 comentário: